Impacto da formação extracurricular na vida profissional

Quando falamos em educação, é comum vir logo a nossas cabeças, as escolas com suas métricas e normas de condutas que nos formam como cidadãos, sabendo ler e escrever, nos levando a um entendimento maior sobre o que acontece com o mundo a nossa volta; pelo menos no tocante das leis da física, da geografia, da matemática (1+1=2), entre outras disciplinas.

Quem têm filhos pequenos, sabe que a escola não é a solução real para uma educação de qualidade, apesar de necessária. É preciso ter educação escolar? Sem sombra de dúvidas. Mas também precisamos ter uma educação extra curricular que se chama, lição de vida ofertada por nossos pais e entes queridos. Lá em casa, por exemplo, é muito comum fazermos as tarefas junto a nossa filha e discorrer sobre temas que facilitem o entendimento do que a escola quer ensinar. É comum ver a pequena, utilizando-se destes conceitos em seu dia a dia. Vale salientar que é preciso que estes conceitos prontos, de origem escolar, sejam readequados ao nosso cotidiano, tendo o mesmo funcionalidade real para nossas vidas e a de nossos filhos. Isto despertará interesse e vontade de aprender cada vez mais.

Vamos pular agora para outra etapa de nossas vidas. A vida profissional. Esta é a que mais me preocupa, pois as universidades capacitam seus estudantes, para que os mesmos ocupem vagas no mercado, não levando a sério o que realmente importa quando somos profissionais…fazermos de nossa profissão um negócio rentável.

Quer ver um exemplo desta mentalidade padrão? Quantos universitários, em início de curso, fazem cursos extra curriculares pensando em aprender novos conceitos e a pensar fora da caixa? Te digo com certeza, que poucos são estes pensamentos. A maioria busca completar a sua carga de estágio e cursos obrigatórios, para conseguir um emprego numa empresa de nome. Veja aqui, neste parágrafo, um pensamento que data de décadas atrás. Um pensamento de buscar um emprego numa empresa grande e talvez até fazer carreira dentro dela. Isto é um pensamento que remonta o tempo de nossos avós, e talvez, talvez, de nossos pais, onde passar muito tempo numa mesma empresa era bom.

Nos dias atuais, o Deadline é de não mais de 5 anos, sobe pena de se tornar uma pessoa enraizada naquela empresa e que não busca novos desafios no mercado. Pois é, a necessidade de mercado mudou, e nossa formação acadêmica, não consegue acompanhar esta evolução.

Sou defensor nato de investir em cursos extra curriculares, de qualidade. Isto muda nossa forma de pensar a nossa profissão, aumenta nosso Network, abre novas possibilidades, nos deixa expostos ao mercado… em fim, o melhor que podemos fazer por nossa carreira é aumentar e diversificar ao máximo nossa experiência profissional e intelectual, para que sejamos donos de um negócio rentável, e não apenas tenhamos uma profissão como muitos assim o fazem.

E aí fica a pergunta: Como fazer da profissão um negócio altamente lucrativo? Para começar, releia o texto e invista em mais conhecimento e se possível…diversifique o mesmo pensando sobre outras áreas de conhecimento. Sobre a pergunta que agora você está se fazendo: Sim, e como vou fazer de minha profissão um negócio rentável? A resposta ficará para uma próximo artigo!

Nos negócios, 1+1=3 ou 4 ou 5 ou até mais…vai depender de sua capacidade de fazer esta soma acontecer!

Grande abraço!

Comentários

Comentários

Compartilhe através do: